Projecto CRESCER realiza evento de lançamento académico com estudantes do curso de medicina no Lubango

0
338

O Projecto CRESCER realizou, nesta sexta-feira, 22 de Outubro de 2021, na Faculdade de Medicina da Universidade Mandume Ya Ndemufayo (UMN), no Lubango, Província da Huíla, o evento de lançamento acadêmico para 99 estudantes do 4°ano do curso de Medicina.

O acto, que reuniu personalidades políticas e académicas, teve como objectivo explicar e integrar os estudantes do 4º Ano, que terão no curso as matérias de Medicina Comunitária e Saúde Pública, na investigação comunitária do projecto CRESCER, como parte da advocacia deste projecto de pesquisa no marco da cooperação para o desenvolvimento.

O evento, cuja abertura esteve a cargo do Vice-Reitor para a Administração e Gestão da Universidade Mandume Ya Ndemufayo, Sebastião António, teve uma palestra subordinada ao tema ““A importância da pesquisa clínica e operacional como motor de conhecimento: das aulas ao terreno”, proferida pelo Director do Gabinete de Investigação Científica e Pós-graduação da UMN e Coordenador do projecto CRESCER pela UMN, José Carlos Lima, e contou com a presença do Grupo Técnico do Projecto CRESCER em Angola, liderado pela sua coordenadora Geral, Helena Trigo Esteban, e da coordenadora pelo FAS – Instituto de Desenvolvimento Local, Maria de Lurdes.

O Projecto CRESCER é a componente IV do Programa de Fortalecimento da Resiliência e da Segurança Alimentar e Nutricional em Angola (FRESAN), uma parceria do Governo de Angola com a União Europeia, e tem como objectivo contribuir para a geração de evidências, disseminação e transferência de conhecimento de estratégias para reduzir a desnutrição e a mortalidade em crianças menores de cinco anos nas Províncias da Huíla e Cunene no contexto pós Covid – 19 por meio de pesquisa operacional. Tem como parceiros intervenientes a Fundação do Hospital Universitário Vall d’Hebron – Instituto de Pesquisa (VHIR) da Espanha, que coordena o Projecto, Instituto de Saúde Carlos III (ISCIII), Fundação Ação contra a Fome (ACF), a Universidade Mandume ya Ndemufayo (UMN) do Lubango e o FAS – Instituto de Desenvolvimento Local.