FAMÍLIAS DO MUNGO COMEÇARAM A BENEFICIAR DAS TRANSFERÊNCIAS SOCIAIS MONETÁRIAS

0
72

Depois de cadastradas e seleccionadas, as 31.379 famílias do Município do Mungo, Província do Huambo, começaram a beneficiar das Transferências Sociais Monetárias, no âmbito do Programa de Fortalecimento da Protecção Social – KWENDA.

O lançamento, presidido pela Governadora Provincial, Lotti Nolika, teve lugar a 19 deste mês, no bairro Vigilância, o maior do Mungo, com 2411 beneficiários . Durante os dois primeiros dias, ou seja, entre os dias 19 e 20, foram atendidas 1150 famílias.

A componente das Transferências Sociais Monetárias está a atribuir trimestralmente 25.500 Kz a cada Agregado Familiar seleccionado pelo Programa, utilizando várias modalidades de pagamento, nomeadamente em cash, através da atribuição de cartão multicaixa, por telemóvel e através de correspondentes bancários. No Caso do Mungo, as Transferências Monetárias estão a ser feitas em cash.

Para além das Transferências Sociais Monetárias, o KWENDA comporta, igualmente, as componentes da Inclusão Produtiva, que tem como objectivo incluir as famílias em actividades geradoras de renda, entre as quais agricultura, criação animal, comércio, artes e ofícios. Quanto à Inclusão Produtiva, no Mungo, numa primeira fase, foram identificadas potenciais cooperativas para beneficiar desta componente.

A componente da Municipalização da Acção Social prevê aproximar os serviços sociais aos cidadãos, através da criação de Centros de Acção Social Integrados (CASI). Nesta perspectiva, está a ser criado o CASI do Município do Mungo.

A componente do Reforço do Cadastro Social Único tem como finalidade criar uma base de dados que servirá de base para as políticas públicas, podendo ainda fortalecer os mecanismos de intervenção do Sistema Nacional de Protecção Social.

Operacionado pelo FAS, agência governamental, dotada de personalidade jurídica e autonomia financeira e administrativa, o KWENDA é um programa do Governo angolano que visa apoiar as famílias em situação de pobreza e vulnerabilidade no País. Avaliado em 420 milhões USD, é financiado em 320 milhões USD pelo Banco Mundial, sendo os outros 100 milhões USD provenientes do Tesouro Nacional.