INCLUSÃO PRODUTIVA NA LUNDA SUL

    0
    36

    O Fundo de Apoio Social procedeu sábado à entrega dos kits de apoio à produção e ao comércio a 167 beneficiários da abordagem de Inclusão Produtiva das localidades do Muriege, Muconda e Cassai Sul, na província da Lunda Sul, num processo   financiado com recursos da doacção da União Europeia e assistência técnica da FIIAPP.

    O evento presidido pelo Governador Provincial, Ernesto kitekulo, foi bastante concorrido nas três localidades, onde os beneficiários, com 160 mulheres como destaque,  receberam activos para apoio à agricultura, traduzidos em enxadas, catanas, sementes diversas, fertilizantes,   botas e um kit de primeiros socorros, para a melhoria e aumento da produção tendo em atenção à demanda do mercado.

    O kit de apoio ao comércio composto de um pacote logístico de bens alimentares e industriais para o aumento da renda dos beneficiários é um reforço para a actividade da população vulnerável que se dedica à venda para geração  de renda.

    A fase piloto da abordagem  de Inclusão Produtiva decorre em 11 municípios das províncias de Benguela, Bié, Cabinda, Cuanza Sul, Huambo, Huíla, Luanda, Lunda Sul e Namibe e prende-se com  a  transferência condicionada   de activos para    investimentos,  para facilitar o acesso das populações que se encontram em situação de vulnerabilidade, exclusão social e      renda.

    O objectivo da inclusão produtiva assenta no aumento do rendimento das pessoas, na melhoria das condições de vida das famílias e facilidade de  ligação dos beneficiários à demanda do mercado.

    No quadro da implementação do PDL, definiu-se como grupo alvo no quadro da Inclusão Produtiva, os indivíduos ou grupos  com risco de exclusão do sistema produtivo, ligados ou não aos sectores de actividade, seleccionados pelas seguintes razões: Desigualdade do género; Etnia, Idade e condição física deficiente; portanto ser descriminado ou marginalizado como ser humano, homem ou mulher, por ser de uma etnia não privilegiada, por ser mais velho ou mais jovem, pela sua condição física, ser deficiente físico, cego, surdo ou mudo, ou pela condição de saúde, ser uma pessoa mais velha.

    Na linha dos beneficiários encontram-se pessoas expostas  a choques económicos ou ambientais, portanto,  que estão numa situação de desemprego ou decorrentes de terramotos, incêndios ou de outras catástrofes que  podem ocorrer.